HANDSonDREAM_Nasca-9497

Uma parada surpreendente em Nasca!

Gabriela Muniz Volta ao Mundo Leave a Comment

Cada dia que passa temos mais dificuldade de montar nosso roteiro! O tempo e a prática em viajar só aguçam ainda mais a curiosidade em conhecer os lugares e aproveitar intensamente cada momento! E por isso é difícil escolher visitar ou passar batido em um determinado local.

No Peru estávamos muito em dúvida em fazer uma parada na cidade de Nasca pois o voo para ver as linhas seria muito caro e não sabíamos se valeria tanto a pena! Mas valeu! E como valeu!!!

Foi um dia sensacional e totalmente completo! Logo cedo nos preparamos e fomos até o aeroporto para fazer o voo que dura em torno de meia hora para ver as famosa linhas de Nasca.

Linhas de Nasca

Ainda no aeroporto assistimos um vídeo bastante interessante, explicando um pouco sobre o povo Nasca que viveu naquela região entre 400 e 650 d.C e a possível explicação para a origem das linhas. Ficamos bastante intrigados depois de ver os desenhos e as formas geométricas perfeitas!

As linhas são um conjunto de geoglifos que podem ser vistos em formas simples como linhas paralelas, até figuras complexas de animais, fauna e figuras geométricas. É absolutamente incrível. Do alto pudemos ver perfeitamente uma baleia, um macaco, um beija flor, uma aranha, um cachorro de dois rabos e vários outros desenhos incríveis! As figuras maiores chegam até 200m de diâmetro, segundo o piloto que nos guiou e nos indicou cada figura.

O vídeo conta que há muitas teorias desenvolvidas pelos arqueólogos para interpretar o significado das linhas, mas geralmente atribuem-lhe significado religioso.

Alguns dizem que as linhas foram criadas para os deuses dos Nascas. Eles acreditavam que seus deuses, sempre associados a algum elemento da natureza, podiam enxergar as figuras do alto e atenderiam suas necessidades e pedidos, relacionados a fertilidade e irrigação dos campos. Os desenhos geométricos poderiam indicar o fluxo de água ou estarem ligados a rituais para convocar água. As aranhas, pássaros e plantas poderiam ser símbolos de fertilidade. Isso porque os Nascas se encontravam numa região desértica e extremamente seca.

Outros acreditam ainda que os desenhos estão relacionados a astronomia, podendo representar gigantes calendários astronômicos.

Ainda há o outro grupo de pessoas que acredita que os símbolos foram feitos por alienígenas! Mas este é um grupo pequeno e não nos parece muito sério!

Devido ao clima seco, sem vento e estável, de planalto e ao seu isolamento, a maior parte das linhas foram preservadas. Um espetáculo que merece ser visto ao menos uma vez na vida!

HANDSonDREAM_Nasca-3538

Beija Flor

HANDSonDREAM_Nasca-3546

Calopsita??? Não sabemos bem o que é isso ai não!

HANDSonDREAM_Nasca-9805

Homem Coruja ou Astronauta. Com qual você fica?

HANDSonDREAM_Nasca-9783

Baleia!!

Sítios Arqueológicos em Nasca

Na parte da tarde nós visitamos alguns pontos importantes relacionados a civilização Nasca, que nos ajudou a entender um pouco mais sobre a história desse povo tão incrível!

Primeiro conhecemos aquedutos que funcionam até hoje! Atualmente os agricultores da região utilizam essa construção tão inteligente para irrigar suas plantações e garantir que as sementes cresçam. São construções interessantes que os Nascas criaram para encontrar e utilizar água dos lençóis freáticos mais profundos, já que estavam no deserto. São áreas grandes em forma de escada, que foram construídas dessa forma para evitar que os terremotos destruíssem o grande poço de água. Além disso, esse formato facilitava manutenção do aqueduto.

HANDSonDREAM_Nasca-3568

Em seguida visitamos um gigante complexo conhecido como Cahuachi. São estruturas enormes em forma piramidal que era um centro cerimonial da cultura Nasca. Infelizmente não se pode entrar ainda pois está sendo descoberto pelos arqueólogos. São mais de 30 pirâmides mas só 5 podem ser vistas, pois as outras ainda nem foram escavadas. É um trabalho que está acontecendo já há 12 anos por falta de verba. Os arqueólogos só trabalham de 2 a 3 meses por ano! Muito triste!

HANDSonDREAM_Nasca-3574

O guia nos contou que ali foi somente um centro cerimonial pois foram encontrados muitos objetos e esqueletos de cabeças utilizadas em cerimônias de sacrifício. Além disso foram encontradas cerâmicas cerimoniais e peças de roupa sofisticadas que indicavam ser de pessoas de alta classe. Uma pena não podermos entras nas pirâmides para ver mais de perto!!!!

Mas realmente o que mais nos impressionou nessa visita foi o cemitério Nasca profanado! É um lugar que foi saqueado há muitos anos. Os ladrões levaram tudo que poderia ser de valor mas não levaram as múmias que foram enterradas naquela região. Hoje o que podemos ver são ossos espalhados para todos os lados! Pedaços de cerâmica e roupas que ainda conservam cores! É impressionante, chocante e bizarro!

HANDSonDREAM_Nasca-cemiterio-01

É possível pegar os ossos na mão! Vimos muitas cabeças, arcadas dentárias, costelas e muito mais. Ainda há poucos remanescentes das múmias com pele mas nada está conservado por nenhum órgão governamental ou público! Está simplesmente largado. E novamente por falta de verba! O guia nos contou que ninguém quer estudar a região pois o investimento seria muito alto. Nos disse também que certamente há muitas múmias conservadas ainda embaixo da terra.

Para nós foi uma experiência singular! Realmente achamos que só podíamos ver isso em filme! Mas está lá… a céu aberto, para todos verem e, infelizmente, alguns destruirem!

Dunas espetaculares!

HANDSonDREAM_Nasca-sandboard

Fechamos o dia numa paisagem de tirar o fôlego! Fizemos sand boarding nas dunas de Nasca e o local é de uma beleza impressionante! Mesmo conhecendo dunas brasileiras, essa região nos impressionou!! No caminho de volta paramos no meio do deserto para ver o por do sol! Lindo, grande e vibrante!

Momentos como esse definitivamente não tem preço! Nessas horas temos ainda mais certeza da escolha acertada que fizemos! É maravilhoso e sem palavras!

 

Converse com a gente!

Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *