Slider

12 costumes de longas jornadas na estrada

Gabriela Muniz Volta ao Mundo Leave a Comment

Parece que foi ontem que nossa longa jornada se iniciou. E sem que a gente percebesse, já passaram 9 meses de estrada. E não é que a gente se acostumou e se adaptou até melhor e mais rápido do que imaginamos?

Me lembro exatamente do dia que saímos de São Paulo! A ansiedade estava a flor da pele!!! Uma alegria de uma criança rasgando um embrulho de presente! A despedida no aeroporto! Lugar que tanto amamos. Eram tantas dúvidas, tantas curiosidades, alguns medos e principalmente uma vontade maluca se jogar ao desconhecido, assim como fizemos!! E foi incrível!! E ainda está sendo incrível!!! Vivemos tanta coisa! E de repente viajamos pela América Central e América do Sul! E estamos há poucos dias de rever todos que amamos!!! Matar uma saudade que aperta diariamente o peito!

Mas é interessante como tivemos que nos acostumar com tanta coisa durante esse período! Tudo é novo todos os dias e mesmo depois de nove meses, você descobre uma coisa nova que precisa se acostumar! E inevitavelmente você se adapta! Porque na verdade não tem outro jeito. E então você aprende a viver de um jeito diferente. As vezes mais interessante, as vezes mais difícil e outras vezes muito mais simples!

Os 12 fatos que tivemos que nos acostumar:

1.Tomar bebidas sem gelo

Como foi difícil encontrar bebidas geladas em quase todos os lugares! Cerveja então?! Impossível! Em pleno verão nos restava nos contentar com bebidas frescas ou ainda à temperatura ambiente! Gelo era duvidoso mas mesmo quando pedíamos a resposta era quase sempre a mesma: “No hay”!!!

2.Tomar banho de chinelo

Nos hospedamos em todo o tipo de lugar! Desde espeluncas sujas, feias e cheia de bichos até lugares top em alguns poucos momentos. No geral sempre buscamos opções limpinhas mas o banheiro sempre é duvidoso! O chinelo virou parte fixa do corpo durante o banho! Benditas havaianas!!!

3.Andar com papel higiênico na mochila

Papel higiênico na América Central e em muitos países da América do Sul é luxo total! Não importa se é a rodoviária, um café, um restaurante ou uma atração turística! 99% de chance de não ter papel higiênico no banheiro! Por isso tenha sempre o seu rolo!!

4.Andar muito a pé

A grande vantagem de ser mochileiro é ganhar um certo condicionamento físico! Para economizar e principalmente para conhecer a fundo o lugar visitado andamos para todo o lado! E como andamos! As vezes chegam ser mais de 10km por dia e a gente nem percebe! Adquirimos esse hábito e realmente não queremos parar! O corpo agradece!

5.Utilizar somente transporte público

Não temos carro e utilizar táxi para tudo seria muito caro! Então bora utilizar busão! E foram muitos! Grandes, pequenos, bonitos, feios, caindo aos pedaços, novos, caros, baratos, lotação, tuk tuk, taxi coletivo, chicken bus! O que viesse a gente tentava! E isso nos permitiu conhecer de perto o estilo de vida do povo local de quase todos os lugares por onde passamos! Para nós tem sido uma experiência única!

6.Usar camisetas furadas

Impressionante como todas as camisetas furam no mesmo lugar! Exatamente aonde as alças que sustentam o mochilão tem contato com a roupa. Próximo a cintura. No início você acha que é só com você. Depois você repara que todos os mochileiros tem esses furinhos em suas camisetas ou blusas! Ossos do ofício!! Hehehe

7.Passar noites no busão

Nada melhor do que economizar uma diária e comprar uma passagem para um ônibus noturno! E como fizemos isso! Tantas vezes a ponto de achar que 5 horas de viagem é uma viagem curta! As grandes distâncias em ônibus passaram a ser parte constante de nossa jornada, principalmente na América do Sul.

8.Tomar banho de lenços umedecidos!

O famoso baby wipes virou objeto obrigatório na mochila! Podemos dizer que foram muitos dias de banhos com os milagrosos lencinhos! Foram muitas trilhas de muitos dias no meio do mato, em pleno frio de 0 graus! Então baby wipes era a solução.

9.Dormir todo dia em uma superfície diferente

Isso é algo que sabíamos que teríamos que lidar desde o dia que saímos de viagem. Foram muitas camas, colchões, colchonetes, isolantes e etc! Lençóis limpinhos, imundos, de cores diferentes, manchados, gastos, furados, cheirosos, fedidos. Cobertores coloridos, de mendigo, edredons macios, de pluma de ganso. Foi uma infinidade tão grande de lugares que é gostoso de lembrar as melhores e piores experiências!

10.Não sentir mais o cheirinho de limpeza nas roupas

Dependemos de lavanderias e na maioria dos lugares elas não estão preocupadas em te entregar a roupa cheirosinha como a gente costuma ter em casa! Nada mais de amaciante de flores silvestres ou sabão em pó com cheiro de frescor da manhã! O mínimo é que ao menos sua roupa volte limpa e com nenhum cheiro! Mas nem sempre temos tanta sorte.

11.Reclamar de todos os serviços possíveis!

Essa parte é chata e extremamente cansativa mas totalmente necessária. Podemos afirmar com segurança que temos serviços excelentes em São Paulo. Seja nos restaurantes, nas lojas, nas farmácias, etc. E sofremos muito com gente tentando nos passar pra trás ou oferecendo algo bem abaixo do combinado ou do prometido! Haja paciência para encarar e reclamar!

12.Não combinar mais as roupas!

Por conta da pouca quantidade de roupas, a gente já nem se importa o que combina com o que! Chega um ponto que você quer criar combinações diferentes e por isso usa as roupas mais coloridas possíveis juntas! O importante é estar confortável e sem preocupações sempre!

Estamos acabando a primeira parte dessa experiência encantadora e certamente ainda vamos aprender a nos acostumar com muitas outras coisas! Vamos visitar países com culturas absolutamente diferentes e precisaremos nos adaptar a muitos costumes que ainda nem fazemos ideia que existe! Mas estamos prontos para o que der vier!

O aprendizado que estamos tirando dessa experiência é tão grande e tão profundo que é difícil entender agora como ele vai nos influenciar no futuro. Mas sem dúvida sei que fará uma diferença muito grande na forma como criaremos nossa família.

E você acha que se acostumaria com esses detalhes?

Ou há alguma outra coisa que você já precisou se acostumar em alguma viagem?

Queremos ouvir sua opinião!!!

Gostou? Então compartilhe com os amigos!

Quem escreve

Gabriela Muniz

Facebook Twitter Google+

Engenheira de Alimentos, Pós Graduada em Gestão de Negócios, Empreendedora e Blogueira. Amante da natureza, de viagens, de conhecimento! A Expedição HANDS on DREAM não é só a realização de um sonho, mas também um Projeto de Vida.

Últimos posts

Converse com a gente!

Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *