Hands on Dream - Patrocínio

Patrocínio: Tudo o que aprendemos!

Diego Ferro Uncategorized

Recebemos algumas mensagens nos questionando a respeito de busca por patrocínio. Decidimos, então, compartilhar com todos o que temos de informação acerca deste assunto.

Quando começamos com a ideia de volta ao mundo, conversamos com pessoas que já haviam realizado algo parecido (viagens longas) e com pessoas que conheciam sobre busca por patrocínio. Tínhamos os recursos necessários para a realização da viagem e tentaríamos a captação de recursos por meio de patrocínio.

Nesta busca, começamos a criar algumas relações que perduram até hoje e que vão durar ainda muito tempo. Definitivamente, e de quebra, entramos no mundo de viajantes mesmo antes do início de nossa viagem. Estes novos contatos trouxeram informações valiosas para quem está na primeira empreitada.

É importante dizer que não somos doutores no assunto e que o que temos descrito abaixo são boas práticas para busca de patrocínio, segundo nossas fontes. Não significa que são as únicas iniciativas para se obter o apoio buscado ou ainda que a falta de alguma destas iniciativas impossibilite a obtenção do tão sonhado patrocínio!

Vamos lá?

Como atrair patrocinador?

Foi a primeira coisa que buscamos entender. O que será que temos que fazer antes de começarmos a acessar nossa rede de contatos?

  • Tenha um projeto bem definido;
  • Tenha um bom nome para o projeto;

Bom nome é bastante relativo. Alguns gostam, outros não. O que percebemos é que se você sempre levar muitas alternativas, sempre haverá críticas. O que sugerimos é que se acione alguns contato de confiança e que sejam bastante críticos. Depois de algumas perguntas, faça sua escolha, confie em seu instinto, e coloque o nome escolhido em prática. Em pouco tempo fará sentido a todos.

  • O projeto deve ter alguma ligação com a estratégia de marketing da empresa;
  • O projeto deve ter utilidade para endomarketing (marketing interno);
  • Os entregáveis do projeto devem ter qualidade, seja vídeo, texto ou fotos;

Com estes itens em mente, criamos uma apresentação que demonstra quem somos, o que vamos fazer, quais são os apelos de nossa viagem, como as empresas podem patrocinar e como divulgaremos as informações. Fizemos uma apresentação em power point, convertemos em PDF e enviamos aos clientes. Este é nosso material de apresentação. Descrição sucinta, com fotos próprias e com todas as referências de publicações existentes.
Tenha em mente que você terá 1 minuto para convencer um possível patrocinador a te escutar e ler mais atentamente sobre seu projeto. Esta é a hora de brilhar!

Quem pode me patrocinar?

Em seguida pensamos em como encontrar ou prospectar patrocinadores. Tal busca, de imediato, pede uma boa dose de cara-de-pau, sorte, bons contatos e estômago para aguentar as mais diversas críticas e sugestões.
Toda empresa pode ser um potencial patrocinador. Se seu projeto oferecer algum apelo de endomarketing, por exemplo, quase todas as empresas se encaixarão em sua lista.
Avalie seu projeto, estude as empresas, e mãos à obra.

O que vão me perguntar ou o que vão avaliar?

Outra coisa que ocorrerá é uma análise pronta e inicial de seu projeto. Entre os pontos avaliados, estão:

  • Publicação – Em quais canais (meios de comunicação) você divulgará as informações?
  • Notoriedade – Você já tem algum grupo de seguidores? Como é o acesso ao seu site?
  • Material – Você já possui fotos ou vídeos publicados? São de qualidade?
  • Confiabilidade – A viagem ocorrerá independente de patrocínio? A princípio, você é uma pessoa desconhecida e sem expressão pública que possa ser suficiente para a realização de recursos por conta de sintetização para aproveitar seu tempo com possíveis patrocinadores.

Hands on Dream - Patrocínio

Nossa experiência

O processo por busca de patrocínio toma tempo e invariavelmente te levará para um caminho diferente do caminho sonhado e idealizado inicialmente para o projeto. No ímpeto de conseguir o patrocínio acabamos nos submetendo a coisas que não “exatamente” gostaríamos de fazer. Sentimos isto na pele e conhecemos gente que acabou sofrendo as consequências das escolhas.
Independente disso, o importante é ter boa vontade, cara de pau e, quando conseguir chegar de frente com alguém, saiba bem o que e como contar seu projeto, e aproveite bem seu 1 minuto de show!

Fácil assim? Sim. Conhecemos pessoas que conseguiram patrocínio sem nenhuma documentação ou preparo, outros que conseguiram com o processo bem estruturado e outros que não conseguiram nada. O que tinha de incomum com todos estes casos era a atitude!

Quanto aos tipos de apoio, o que vimos de mais comum é o apoio através de entrega de serviços ou de equipamentos. Patrocínio financeiro são poucos os casos que vimos, mas sim, é possível.

A maior parte da resposta que você receberá será o incômodo “TALVEZ”. E este é o pior dos cenários. Porquê? Vamos lá: o “não” já te desvia para outro foco. O “sim” te leva para os desenhos de projeto e finalização de parceria. Já o “talvez” funciona como uma algema! Você fica na esperança de obter resposta positiva, dedica muito tempo com a empresa, e no final não dá em nada. O talvez, na maioria das vezes, é o não do brasileiro.

Nós buscamos patrocinadores já com todo o recurso necessário acumulado pela venda de todos os nossos pertences e pelo uso de toda nossa poupança, conforme já dito. No meio de nossas buscas, entramos em um processo de obtenção de patrocínio que demorou um tanto para nos responder. Decidimos iniciar nosso projeto independente de patrocinadores, com recursos próprios. Sempre que as coisas emperram, a atitude é importante para que se siga ou não!

Dentre nossas buscas por patrocinadores, conseguimos o patrocínio de duas empresas:

Financeiramente, ainda não conseguimos apoio! Estamos trabalhando nosso projeto pessoal e, tendo ele sucesso, vamos aos patrocínios novamente. O que ouvimos muito por aí é que é mais fácil e viável conseguir patrocínio depois que o projeto teve início e que já existem materiais publicados. É um processo natural, não? Vamos ver! Contamos para vocês mais adiante!

Abaixo, fazemos uma lista com todos os aprendizados deste assunto:

1 – O patrocinador nunca quer o que você quer entregar;

2 – Você tem que saber o que está ou não disposto a entregar com seu projeto. O patrocínio lhe trará obrigações e não será bacana você dedicar o tempo de um projeto de vida para realizar atividades que não lhe agradam. Então, é importante que tenha firme o limite de atividades e escopo de trabalho que você permitirá para sua viagem;

3 – Patrocínio = responsabilidade = dedicação de tempo de sua viagem com um “trabalho” (que pode ou não ser agradável);

4 – Coragem para se tomar decisões importantes. Se perceber que uma empresa está com o recurso destinado a você mas que o escopo desejado por eles está diferente do escopo que você deseja entregar, esteja pronto a dizer não e recusar a proposta. A escolha é simples: realizará seu sonho ou o realizar o projeto?

5 – Não perca a essência do que te levou a desenhar o projeto. Lembre-se sempre dos motivos que te levaram a largar tudo e mudar de vida para a realização de um sonho. Seja fiel ao que te faz feliz!

Agora que estamos com 30 dias de viagens, vimos que sempre preferimos dedicar o tempo que temos para conhecer lugares ao invés de ficar “dentro de casa”. Para nós, por termos um projeto pessoal, este “tempo dentro de casa” para edição de fotos e textos tem sido prazeroso e ao mesmo tempo trabalhoso! Se estivéssemos com um escopo de projeto fora da essência de nosso sonho, seria muito difícil trocar uma noite de bebedeiras com locais de uma cidade produtora de tequila, para poder cumprir uma obrigação contratual com um patrocinador.

Como dissemos no início, estas são as informações que coletamos e algumas dicas de dificuldades que encontramos.

Esperamos que o texto ajude em alguma coisa. Se tiver alguma experiência, comente este texto e compartilhe com nossos leitores!

Converse com a gente!

Comentários