Paíspedia Panamá

KUNA YALA

HoD_Panama-01 Data Início:             10/11/13
Data Fim:                25/11/13
Dias Viajados:         16
Cidades Visitadas:  5
Valor Médio do Dolar: R$ ????
Gasto Médio Diário: US$ ??? (casal)

ROTEIRO

David(1 dia) –> Bocas del Toro (8 dias) –> Cidade do Panamá (1 dia) –> San Blas (3 dias) –> Cidade do Panamá (3 dias)

NOSSAS IMPRESSÕES

Foram duas semanas bem agradáveis  num país com um espanhol difícil de entender, uma capital cheia de contrastes sociais, praias paradisíacas e uma vibe bem relaxada! O país não é tão organizado e bem cuidado como a Costa Rica, mas ainda assim é bem diferente dos seus outros vizinhos centro americanos. Voltamos a ver alguns indígenas com trajes bem diferentes dos Maias andando pelas ruas e dentro de transportes públicos, o que nos trouxe de volta a agradável sensação de viver perto de uma cultura muito antiga e nada convencional. Não estão por toda a parte como na Guatemala, mas é possível notar que algumas tribos ainda mantém fortemente suas tradições.

VISTOS

SEGURANÇA

Entrada da Alfândega

Custos:

Entrada:US$ 1,00/pessoa (novembro 2013)

Saída: não pagamos nada!

Brasileiros não precisam emitir visto para visitarem o Panamá, mas ao entrar no país você é obrigado a informar quantos dias vai ficar e partir disso recebe uma permissão dos dias indicados em seu passaporte. Entramos no país por terra (Costa Rica – Panamá) e tivemos que pagar somente US$ 1,00 em novembro de 2013, por um selo que é colado no passaporte. Porém há algumas exigências que devem ser observadas com atenção: você deve apresentar um valor em dinheiro de US$500,00 por pessoa e caso não tenha a quantia física, eles obrigam a sacar o dinheiro de um caixa eletrônico na fronteira. Portanto não adianta levar somente o cartão de crédito para comprovar que possui fundos. Além disso eles exigem uma passagem com a data de saída do Panamá. Pode ser de ônibus ou avião, mas sem esse documento eles não permitem a entrada. Nós apresentamos nossa passagem de avião para a Colômbia e não tivemos maiores problemas. Brasileiros podem ficar até 90 dias em terras panamenhas e é obrigatória a vacina internacional contra Febre Amarela (por terra não nos solicitaram). Como saímos do país de avião, não pagamos nenhuma taxa de saída. Vale se informar se há alguma cobrança oficial na saída por barco.

Estivemos em poucos lugares no Panamá mas por ser um país de terceiro mundo há sempre o risco de uma situação desagradável. Na região de Bocas del Toro andamos tranquilos nas ruas durante o dia e a noite. Mas fomos sempre recomendados a não andar em lugares muito desertos e principalmente não deixar os pertences sozinhos na praia quando for mergulhar. Há muitos problemas de roubos nessa região. Além disso é sempre bom ler as placas que alertam para locais não recomendados. A cidade do Panamá é bem perigosa a noite e fomos fortemente alertados para não caminhar a noite de forma alguma. O único lugar mais tranquilo é a área central de Casco Viejo que está muito policiada pois é a residência do presidente. Taxis de rua também não são confiáveis. Procure sempre o contato de algum taxi de cooperativa.

TRANSPORTE

DINHEIRO

DENTRO DAS CIDADES

Na Cidade do Panamá, o transporte interno é relativamente bom (as linhas são poucas e as vezes você tem que dar uma passeada pela cidade para chegar a seu destino). A frota de ônibus foi recentemente renovada, aposentando muitos dos famosos e enfeitados Chicken Buses.

Frota nova Frota Antiga

Para utilização do novo sistema público de ônibus, é necessário que se compre um cartão pré-pago, aonde você carrega com o valor que você vai utilizar. Nós pagamos US$ 2,00 pelo cartão em novembro de 2013. Fique atento porque você não pode recarregar o cartão no ônibus, somente em postos de serviço que geralmente ficam nas principais estações.

Outro ponto importante a se atentar é de que há dois tipos de ônibus: os regulares que param em todos os pontos e os chamados CORREDOR, que param menos e utilizam uma linha mais direta. Além destes últimos serem mais rápidos, custam mais que o dobro do preço do regular. Em novembro de 2013 o regular custava US$ 0,25 e o CORREDOR USS 1,25. As tarifas são muita baratas!

Também utilizamos taxi que são bem baratos se compararmos ao Brasil. Porém os locais não recomendam pegar taxi na rua. É sempre bom pedir a um local o telefone de alguma companhia.

No restante das cidades que visitamos não utilizamos transportes públicos porque eram cidades pequenas aonde podíamos fazer tudo caminhando.

ENTRE CIDADES

Chegamos em David e pegamos um ônibus regular com destino a Almirante, uma cidade próxima a Bocas del Toro. Estes são os ônibus mais comuns que vimos pelo país. É um microônibus, com uma fileira dupla em cada lado e com poltronas não reclináveis. Não é mega desconfortável, mas para viagens longas… Entretanto as passagens são bem baratas.

Mini Onibus entre cidades.

Para chegar em Bocas del Toro, o transporte é de barco. São pequenos barcos que levam somente passageiros e cobram US$ 5,00 por pessoa durante o horário normal de funcionamento (o último barco para Bocas sai ás 18.30). Por isso procure se programar para chegar antes desse horário em Almirante. Nós chegamos mais tarde em conseguimos um barco por uma tarifa 3x mais cara do que a convencional. Além disso viajamos a noite e o mar estava muito mexido e perigoso. Chegamos ensopados em Bocas. Em Almirante há hospedagem mas preferimos não ficar pois os locais nos disseram que a cidade era bem perigosa.

Entre Almirante e a Cidade do Panamá preferimos pagar um pouco mais para viajar em um ônibus Puma, que são os convencionais de viagem. Os ônibus são ok e como sempre com pouco espaço entre as poltronas, que são reclináveis. Cuidado que nesta mesma rota também correm os microônibus, que são bem menos confortáveis, e você paga quase a mesma coisa!

Para ir ao Arquipélago San Blas você deve contratar um serviço de jipe, perua 4X4 ou caminhonetes particulares. A estrada é ótima, mas dizem que em dias de chuva fica, em alguns pontos, intransitável. O serviço e todas as informações sobre a ilha são geralmente contratados na cidade do Panamá. Alguns hostels ajudam a organizar toda a viagem, já com transporte e acomodação. Nós organizamos tudo no Hostel Mamallena e adoramos o serviço.

Moeda

Moeda: Balboa (B/.) ou Dólar Americano (US$)

Referência: US$1,00 = B/. 1,00 (Novembro 2013)

No Panamá há duas moedas oficiais mas a Balboa está disponível somente em moedas e só serve para você levar pra casa como um souvenir. A moeda corrente realmente é o dólar. De qualquer forma as duas são 1 para 1.

Por conta disso foi super tranquilo a questão do dinheiro no Panamá. Todos os a caixas eletrônicos (ATMs) aceitam as bandeiras Visa e Mastercard e o saque é em dólares. Para nós brasileiros isso é excelente já que pagamos a conversão somente um vez. Todos os países poderiam ser assim! Além disso os ATMs estão por toda a parte. Somente no Arquipélago de San Blas que não há ATM ou bancos, portanto leve dinheiro vivo suficiente para o número de dias planejados.

DICA

Os cartões pré pago, de crédito e de débito nacionais sempre cobram uma taxa de saque no exterior que varia de US$ 2,00 a US$ 3,00, dependendo do país e do banco. Por essa razão recomendamos sempre sacar o máximo permitido pelo caixa eletrônico para evitar pagar tantas vezes a mesma taxa

NOSSAS RECOMENDAÇÕES DE HOSPEDAGEM

  • Hostal Hansi (Bocas Town – Bocas del Toro)

Não estivemos em muitos lugares no Panamá e na cidade do Panamá nos hospedamos com uma amiga. Por isso o único local que recomendamos de olhos fechados e para todas as idades é o Hostal Hansi. É um albergue mas parece uma pousada. Há somente quartos  privativos, uma área comum agradável e uma cozinha espetacular! Tudo impecavelmente limpo por um preço espetacular!

CULINÁRIA IMPERDÍVEL

RESTAURANTES PREFERIDOS

 

Infelizmente vamos ficar devendo informações nesta sessão! No Panamá nós saímos muito pouco para comer fora e quando saímos, não foram restaurantes de comidas típicas panamenhas.
Ao contrário dos outros países que visitamos, as comidas típicas não estão tão evidentes nas ruas, nos restaurantes ou nos mercado locais. A maioria dos restaurantes que vimos ou visitamos serviam comidas variadas.

HANDSonDREAM_Panama-9926

Bocas del Toro

Super Gormet Bocas:não é bem um restaurante mas um empório super hiper bacana que adoramos descobrir em Bocas. Um lugar todo estiloso com ingredientes gourmet do mundo todo para cozinhar um belo prato sofisticado! É o tipo de lugar que você entra e que ficar por horas e horas só xeretando tudo que há disponível! Além disso na parte de trás eles preparam sanduíches, hambúrgueres e saladas, tudo no estilo gourmet e sofisticado, que você pode consumir ali ou pedir para levar. Um must em Bocas!

Bocas Blended:não tem como não se apaixonar por esse motorhome todo decorado, colorido e estiloso que mora em um terreno entre duas casas e vende smoothies deliciosos e baratos! É o grande motorhome-loja que te atrai no momento em que você passa na frente, e não o produto, apesar de ele ser muito bom também! Estávamos passando em frente e tivemos que parar e curtir um smoothie num lugar tão legal!

Cidade do Panamá

Segundo Muelle: nossa amiga querida e guia particular na Cidade do Panamá nos levou para comer comida peruana neste restaurante sensacional! Comida e atendimento de primeiríssima e preço bem salgadinho. Mesmo preço de um bom restaurante em São Paulo. Mas vale muito a pena! O ceviche extremamente fresco, de excelente qualidade e muito saboroso! Para quem gosta de comida peruana, programe uma passadinha por lá!

PARA ENCHER A CARA

 

Assim como a culinária, também não experimentamos nada absolutamente típico para descrever por aqui. Tomamos bastante cerveja panamenha, que é boa, mas não tem nada de especial. A cerveja compartilha do mesmo nome da moeda do país: Balboa!

 

ONDE VOLTARÍAMOS

O QUE DISPENSARÍAMOS?

Bocas del Toro

Bocas é um conjunto de ilhas com praias lindas por todos os lados. Há praias diferentes para todos os gostos: para surfar, para fazer snorkeling e ficar de molho ou somente para apreciar. Porém todas tem algo em comum: são lindíssimas e selvagens! Bocas Town é onde estão localizados a maioria dos hotéis, hostels, restaurantes, mercados e agências de turismo, mas não é lá tão charmosa e tem ruas de asfalto. Entretanto é o melhor ponto de partida para chegar em todas as maravilhas da região.

Cidade do Panamá

Uma cidade de contrastes! Lindíssima na área da orla aonde a modernidade está por toda parte: nos arranha céus, no calçadão moderno, verde e extremamente bem cuidado, nas marinas e nos hotéis altamente sofisticados. Estilo americano em tudo que se vê. No centro que é chamado de Casco Viejo, edifícios coloniais lindíssimos e coloridos, restaurante charmosos e bela lojas em contraste com casas muito pobres e mal preservadas. Todo o restante da cidade que conhecemos é feio e muito pobre! Sem contar o incrível e imponente canal do Panamá que é difícil descrever em palavras! Com toda essa mistura para conferir, não há como não visitar a Cidade do Panamá!

Arquipélago de San Blas

Paraíso tropical daqueles capazes de impressionar qualquer pessoa! Até mesmo as que não gostam de praias! Ilhas minúsculas que te fazem sentir em um filme, inúmeros coqueiros, águas transparentes, areia branca, céu azul, sol brilhando, refeições a luz de velas por falta de eletricidade! É uma experiência maravilhosa! Viver tudo isso dentro das terras pertencentes aos índios Kuna Yala e chegar mais perto da cultura deles é algo absolutamente completo e sem preço!

David

David é uma cidade feia, sem graça, relativamente suja e sem nenhum atrativo. Essa foi a cidade que chegamos com o Tica Bus, quando deixamos a Costa Rica. Tínhamos imaginado passar duas noites na cidade para andar e conhecer um pouquinho o centro e as ruas, mas não fomos com a cara da cidade mesmo. Era feriado, estava tudo fechado e foi difícil encontrar até um restaurante que tivesse aberto

EXPERIÊNCIAS ÚNICAS

Canal do Panamá Canal do Panamá Praia das Estrelas - Bocas Del Toro Arquipelago de San Blas - Kuna Yala Índios Kuna Yala - Arquipélago de San Blas

Participar de uma celebração Kuna Yala no Arquipélago de San Blas

A experiência foi tão única e marcante que nós dedicamos um artigo no site só para contar em detalhes como foi chegar mais perto dos Kunas, participar da festa deles,  tomar e brindar com eles sua bebida típica e ainda ter a oportunidade de passar quase 1 hora conversando e apreendendo lições incríveis com o chefe da tribo. Sem dúvida esse momentos mudaram alguma coisa dentro de nós e saímos de lá com uma felicidade difícil de explicar!

Ver o Canal do Panamá em funcionamento

Uma obra de engenharia tão incrível e espetacular, que precisa estar lá, assistir um desses navios enormes entrando, cruzando e saindo para compreender a grandeza e a importância econômica desse gigante. Ficamos impressionados e maravilhosos e não satisfeitos assistimos toda a passagem de três grandes navios! Não paramos de filmar e tirar fotos, só para poder ver e rever futuramente!  O complexo conta com um museu bem bacana que conta toda a história da construção do Canal. Há também um filme resumindo o passado e o futuro do Canal do Panamá! Simplesmente incrível!