esp-2941

7 meses e muitas mudanças depois…

Gabriela Muniz Em Malta

Incrível como o tempo escorre pelas nossas mãos e sequer notamos…Há 7 meses chegamos em Malta cheios de apreensão, de empolgação, de curiosidade, de medos. Cheios de perguntas, de vontades, de dúvidas. Cheio de esperança!! Cheios de sonhos!!

Chegamos sem casa, sem trabalho, sem amigos e com uma única certeza. De que Malta era o lugar que queríamos chamar de lar. Mas porque Malta?

Porque sim! Porque Malta é linda. Porque aqui nos sentimos no paraíso. Porque aqui nos sentimos constantemente de férias. Porque aqui tem sol. Porque aqui tem mar. Porque aqui o mar tem aquele azul inexplicável!! Porque aqui tem natureza. Porque aqui é seguro. Porque a gente quis!! Simples assim…


De fato esse últimos 7 meses nos proporcionaram muitos sentimentos diferentes, gostosos, contraditórios, desafiadores e doloridos. Curioso como coisas inesperadas aconteceram e nos mostraram uma realidade que não imaginávamos viver tão cedo.

De coração aberto, o primeiro passo foi procurar o nosso canto. Depois de dois anos dormindo em tantas camas, usando tantos chuveiros, escovando os dentes em tantas pias diferentes, tudo que mais queríamos era encontrar um lugar para chamar de lar.

E achamos! Pertinho do mar! Tudo que sempre sonhamos quando decidimos sair por aí mundo afora e procurar um canto para morar. De repente nos vimos saindo na varanda e podendo ver o mar todos os dias. Será que isso era possível dentro da nossa cabeça paulistana acostumada a prédios, ausência de cores e poluição?

Aos pouquinhos começamos a conhecer pessoas lindas, abertas e dispostas a nos incluir no mundo delas! Prontas para nos ouvir, compartilhar e ajudar! E hoje já podemos chamar algumas pessoas por aqui de amigos, aqueles que já nos mostraram de alguma forma que podemos contar com eles.

E sem a gente menos perceber, após dois meses de Malta e um mês procurando trabalho, estávamos empregados! E por mais incrível que possa parecer recebemos a notícia no mesmo dia! O Di na área dele e eu na minha.

E sem notar, uma vida mais estruturada começou a aparecer diante de nós! Sonhamos tanto com esse momento! De nos estabelecer num lugar escolhido por nós e colocar a vida nos trilhos! E pouco a pouco realizar cada um dos sonhos que planejamos, que sonhamos, que projetamos!

Uma casa, amigos, trabalho….tudo se encaixando num lugar que deixou de ser tão estranho, tão diferente e tão distante. E sem perceber as dúvidas vão se dissolvendo com as vivências e aprendizados. Sem perceber sabemos onde comprar verduras, frutas, roupas ou sapatos. Sem perceber já sabíamos andar de ônibus e já conhecíamos mais os nomes dos bairros, ou melhor, das cidades maltesas!

Começamos a virar gente de verdade! Tiramos número de CPF e INSS maltês. Abrimos conta no banco. Demos entrada no RG maltês. Até o governo passou a saber quem somos nós!

E para completar compramos nosso carrinho! Passamos a dirigir do outro lado já que aqui é mão inglesa. Foi difícil nas primeiras semanas, mas como tudo na vida a gente se adapta. Sem perceber estávamos inseridos no louco trânsito maltês e agora temos a sensação de fazer parte de uma sociedade!

Aí veio a parte difícil…

Parte que trouxe sentimentos doloridos, apertados e difíceis. Do dia para a noite o Di recebeu a notícia de que teria que passar 3 meses no Brasil a trabalho.

3 MESES!!!!

Após 24 meses juntos, 24 horas por dia. Após tanta união, tanta cumplicidade, tantos momentos compartilhados intensamente a gente se viu na situação de passar 3 meses separados completamente! Isso somente um mês depois de ele começar a trabalhar.

Eu num país ainda completamente estranho com poucos conhecidos na época, quase nenhum amigo, me vi sozinha, completamente sozinha por 90 dias. Mal tínhamos começado a curtir nosso lar. Mal tínhamos vivido a nossa nova rotina e de repente, assim como mágica, eu estava levando ele no aeroporto num domingo ensolarado.

Deixei ele junto com meu coração que foi com ele na mala. Saí de lá chorando baixinho. Chorei o caminho todo até em casa. Saí pra dar uma volta no calçadão em frente ao mar….sem ele. E parece que naquele dia todos os casais estavam mais apaixonados do que nunca :(

Fui tomar sol no cantinho que tínhamos elegido como nosso. Num lugar mais calmo e tranquilo. Pensando nele. Ali pensando decidi que não ficaria triste e nem deprimida. Decidi que viveria ao máximo aqueles 3 meses e faria a experiência ser a melhor possível apesar de tão difícil.

Decidi que me aproximaria mais das pessoas que aos poucos estava conhecendo melhor e tornaria esse tempo mais agradável e mais fácil de passar rápido!

E foi o que aconteceu! Não foi fácil! Aproveitei muito sim! Fui em festivais e eventos malteses. Aproveitei o verão todo que o Di infelizmente perdeu, mas também sofri quietinha muitas vezes. Senti o coração esmagado de saudades. Muitos dias acordei sem ânimo e com vontade de ficar em casa esperando ele chegar! Mas já tinha tomado a decisão de tornar essa situação uma experiência de aprendizado e alegrias e assim foi.

E de novo sem perceber…tá bom…dessa vez não foi sem perceber! Rs!… dessa vez muitos dias demoraram para passar. A contagem regressiva parece que não acabava nunca, mas mesmo assim, um dia ele voltou e os 3 meses se passaram.

Apenas consolidamos e tivemos mais certeza do que já sabíamos. Que o nosso amor é infinito e é capaz de enfrentar qualquer barreira, obstáculo ou dificuldade! E o resultado disso foi fortalecimento, mais cumplicidade e mais amor, se é que isso é possível!

E de repente 7 meses se passaram vivendo em Malta!

E ainda temos muito para compartilhar sobre essa jornada incrível que estamos vivendo nessa micro ilha!

Se a nossa disciplina de escritores nos permitir, estamos de volta para dividir cada momento dessa grande aventura, que se depender de nós não vai acabar nunca!

Hands on Dream em Malta por tempo indeterminado! Até dar na telha de colocar a mochila nas costas mais uma vez! Fique com a gente por aqui :)

E de repente 7 meses se passaram vivendo em Malta!

E ainda temos muito para compartilhar sobre essa jornada incrível que estamos vivendo nessa micro ilha!

Se a nossa disciplina de escritores nos permitir, estamos de volta para dividir cada momento dessa grande aventura, que se depender de nós não vai acabar nunca!

Hands on Dream em Malta por tempo indeterminado! Até dar na telha de colocar a mochila nas costas mais uma vez! Fique com a gente por aqui :)

Gostou? Então compartilhe com os amigos!

Quem escreve

Gabriela Muniz

Facebook Twitter Google+

Engenheira de Alimentos, Pós Graduada em Gestão de Negócios, Empreendedora e Blogueira. Amante da natureza, de viagens, de conhecimento! A Expedição HANDS on DREAM não é só a realização de um sonho, mas também um Projeto de Vida.

Últimos posts

Converse com a gente!

Comentários