HoD_Simples-1649

Porque precisei viajar para descobrir a simplicidade

Gabriela Muniz Devaneios 6 Comments

Desde que voltei da primeira etapa rodando a América Latina, parei para refletir o que mais me fez feliz nesses últimos meses. Saí daqui querendo entender o que fazia as pessoas felizes e conhecer mais sobre a história delas, mas no meio de toda essa euforia, esqueci de pensar um pouco em mim.

Claro que a viagem, o sonho se realizando, já estava me fazendo absurdamente feliz, mas nos primeiros momentos havia tanta coisa na cabeça, tantos planos, tantos projetos, que eu sinceramente não pensei o que me faria mais feliz durante a jornada. Afinal realizar a jornada já era algo tremendamente incrível.

E aí comecei a viajar e passei por muitos e muitos momentos. Vivi grandes emoções, sorri, chorei, comi demais, comi de menos, andei muito, me estressei, me surpreendi… Enfim! Vivi intensamente.

Escrevi sobre experiências, sobre momentos, sobre dicas e até sobre mudanças internas que foram acontecendo durante os meses. Sempre quis poder inspirar as pessoas a partir de uma vivência marcante ou algo extraordinário que aprendi.

Acho que amadureci em muitos aspectos e passei a me conhecer melhor…

Sou uma mulher urbana, fui criada na gigantesca cidade de São Paulo, dentro de um apartamento. Vida louca, vida de trânsito, vida caótica, vida de horários, de inúmeros compromissos, vida de agenda lotada. Antes de começar a desbravar o mundo e descobrir minha intensa paixão por viagens, minha válvula de escape era a praia, há poucas horas de São Paulo.

Por conta disso não sei diferenciar uma plantação de batata de uma de feijão. Não sei reconhecer um pássaro. Nunca tinha ouvido um burro relinchando. Não sei identificar árvores e flores. Não faço a mínima ideia de como ordenhar uma vaca. Não sei selar um cavalo e não tenho a mínima noção do que eu preciso fazer para iniciar uma horta.

E por incrível que pareça foram momentos como esses que mais me fizeram feliz nesses últimos 9 meses. A simplicidade da vida rural.



Quando estava andando debaixo do sol no meio de uma plantação, eu sentia que minha vida estava completa. A vontade era somente sorrir, dada a alegria de estar ali vendo aquela cena tão simples. Quando eu via uma família inteira cultivando a terra com uma enxada na mão, eu parava somente para observar a cena e seria capaz de passar o dia todo apreciando aquele momento tão banal. Andar pela estrada e ver porquinhos acompanhando a mãe numa fila indiana me emocionava verdadeiramente.

A primeira vez que vi um burro relinchando eu estava no meio de uma trilha com o Di. Ouvi um som muitíssimo estranho e o Di me mostrou o burrinho atrás de nós. Fiquei tão feliz que parei ali para olhar e filmar o bicho se comunicar. Foi realmente maravilhoso!

Algumas vezes passeávamos com crianças que nos contavam o nome dos pássaros, das flores e das plantas. No quintal elas cresciam com vacas, cabras, porquinhos e todos tinham nome! Ajudamos a dar nome a família de animais de uma menina mexicana. Aquilo para mim foi tão especial que vai ficar realmente marcado no meu coração.

Depois desses meses, eu consigo ver claramente que não foram as paisagens de tirar o fôlego que mais me encantaram. Não foi o passeio turístico que me mostrou as belezas e maravilhas dos locais que passamos. Claro que eles foram incríveis! Mas a minha felicidade foi muito mais fácil de ser atingida. Ela aconteceu em qualquer lugar, a qualquer momento, em qualquer dia. Ela aconteceu nos momentos mais simples da vida.

É difícil traduzir em palavras o tamanho da alegria que eu senti tantas vezes ao vivenciar esses pequenos momentos.

Eu podia ter descoberto tudo isso se eu fosse para o interior, se eu mudasse de profissão, se eu tivesse um sítio. Mas eu precisei viajar para descobrir o quanto a simplicidade me encanta e me fascina. Eu precisei sair da minha zona de conforto, levantar a bunda do sofá para descobrir um novo universo.

Esse encantamento pelo simples me fez perceber ainda melhor o que quero, o que busco. Eu e o Di estamos nos apaixonando por um mundo novo. Um mundo onde uma vida mais simples é o que nos faz mais felizes.

Não somos e nem queremos ser radicais. Não queremos levar o fato de ter uma vida simples ao extremo e nem queremos pregar a vida simples como única forma de ser feliz!

Mas o que e consigo concluir dessa parte da minha experiência é de que não precisamos o tempo todo desejar aquilo que não temos para ser feliz! O que precisamos é aproveitar de forma plena o que temos e principalmente QUEM temos ao nosso lado! E lembrar que os simples momentos ao lado deles são aqueles que vão passar por nossos olhos quando estivermos bem velhinhos fazendo uma retrospectiva dos melhores momentos de nossas vidas!

Gostou? Então compartilhe com os amigos!

Quem escreve

Gabriela Muniz

Facebook Twitter Google+

Engenheira de Alimentos, Pós Graduada em Gestão de Negócios, Empreendedora e Blogueira. Amante da natureza, de viagens, de conhecimento! A Expedição HANDS on DREAM não é só a realização de um sonho, mas também um Projeto de Vida.

Últimos posts

Converse com a gente!

Comentários

Comments 6

  1. Mari Saul

    Gabi!
    Acabei caindo aqui no site de vocês aparentemente por acaso, mas acho que as coisas não são assim tão simples e o universo deve estar querendo me dizer alguma coisa… Também sou uma menina urbana e ultimamente sinto que há algo errado nesse modo de vida que levamos nas cidades. Parece que apesar de termos tanto, o mais importante está ficando esquecido.
    É muito bom saber que há pessoas corajosas, dispostas a sair da zona de conforto e tomas as rédeas da própria vida. Um mundo onde todos seguissem seus corações seria um lugar muito melhor de se viver.
    Obrigada por me inspirar a repensar as minhas escolhas! Boa sorte na jornada! Vou acompanhar por aqui!

    1. Post
      Author
      Gabriela Muniz

      Olá Mari
      Realmente a sensação de tomar as rédeas é indescritível! E fico feliz de você também acreditar que não caiu aqui por acaso! O universo realmente conspira a favor quando iniciamos um processo de mudança. Levando a vida na cidade, eu não via a semana passar e consequentemente não estava vendo minha vida passar. É algo bem estranho, mas quando comecei a despertar para as minhas vontades e defini como objetivo que eu iria atrás dos meus sonhos, eu comecei assim como você. Encontrava histórias que me inspiravam. Comecei a conhecer pessoas que me mostraram que a carreira não era tudo na vida e que muito menos o dinheiro. Claro que não dá para largar tudo sem um planejamento. Mas quando você poe alguma coisa na cabeça e quer muito que ela aconteça, e luta por isso, a recompensa vem da melhor maneira possível!!!! Fico muito feliz de saber que nós te inspiramos de alguma forma!! É só o primeiro passo!!! E qdo você começar a seguir o seu caminho, vai ver que a sensação é inexplicável!!!!
      Gde bjo
      Gabi

  2. Solange

    Olá Gabriela !!

    Sou Terapeuta holística e estou acompanhando um pouco da viagem de vcs, como somos amantes de viagem, onde nós ainda não fomos vai nos ajudar qdo resolvermos ir.
    Estamos planejando a partir de agosto retornar pela terceira vez a Itália mas para uma tarefa diferente, trabalhar na colheita das azeitonas na Toscana. Quando estiver tudo certo eu aviso aqui. Parabéns pela coragem e tenha certeza que essa simplicidade que vc descobriu é o segredo para a saúde física, mental e espiritual.

  3. eliane oliveira

    Lindoo! como já disse anteriormente, fico sempre sem jeito para escrever depois que leio seus textos, são tão lindooos!!!
    Mais sempre fico com desejo de dizer algo pra vcs, por isso….PARABÉNS!!!!!

  4. Naldo

    Gabi,

    Belíssimo texto e fiquei muito mas muito feliz pelas suas palavras e tenho certeza de que elas vão refletir em muitas mentes, assim como as nossas!

    Beijos e muitas saudades de vocês!!!

    1. Post
      Author
      Gabriela Muniz

      Obrigada Naldo!!!! Você estava tão sumido!!! Também estamos com muitas saudades!!! Fico feliz pelas suas palavras!! Nossa intenção é poder inspirar mesmo!!!
      Gde bjo Gabi e Di!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *