HoD_Grama

Porque a grama do vizinho é mais verde?

Gabriela Muniz Devaneios 1 Comment

É engraçado como nós seres humanos, somos constantemente insatisfeitos!

Trabalhamos num local sempre pensando que há uma opção melhor. Aí mudamos de empresa, a satisfação dura um curto período de tempo e já estamos almejando outra empresa. O mesmo acontece quando pedimos um aumento salarial. Quando finalmente conseguimos, passamos a gastar sem pensar e começamos a pensar quando será o próximo aumento. Quando somos promovidos, celebramos a nova posição e não demora muito tempo até acharmos que merecemos mais. Nossa casa sempre está pequena demais para as nossas necessidades e por aí vai.

E no meu caso, mesmo viajando, não foi diferente! Minha cabeça muda o tempo todo! Mesmo realizando um grande sonho, eu pensei algumas vezes: como seria se eu tivesse viajando de carro, de moto, ou de motorhome? E se eu tivesse escolhido outra rota? Aí de repente você projeta um novo sonho, como se toda a grandeza daquilo que você está vivendo não fosse suficiente!

Na estrada vimos pessoas viajando e ganhando a vida das mais diversas maneiras. Uns com pouco dinheiro e trabalhando nos destinos visitados em troca de hospedagem e comida. Aí eu pensava: poxa porque não estou fazendo isso? Deve ser uma experiência única. Outros trabalhando como freelancers. Ganhavam a vida tirando fotos e fazendo vídeos de bares e restaurantes das cidades pelo qual passavam. Apresentavam aos estabelecimentos e esperavam resultados. Seguiam caminho conforme ganhavam algum dinheiro. E novamente eu pensava que também podia viajar assim, que seria incrível. Um certo dia conhecemos um motociclista rodando as Américas com seu filho na garupa. De uma hora para a outra eu queria mudar os planos e viajar de moto.

Eu olhava meu blog e achava que os outros estavam sempre melhores. Então queria mudar algo para torná-lo melhor. Mesmo sabendo que não havia nada de errado. Era eu novamente desejando algo diferente do que eu tinha.

Sabe aquela sensação de a grama do vizinho sempre é mais verde? Parece que eu tenho um problema de insatisfação em relação a minha própria realidade e comparação com outros mundos diferentes do meu.

Aí você me pergunta: você não está satisfeita com a sua viagem? Não está realizada?

Claro que estou! Estou tão feliz que as vezes não consigo explicar a satisfação de estar realizando esse sonho. É maravilhoso poder acordar todos os dias e saber que seu dia será inédito, que você viverá algo novo. É bom saber que o tempo é só seu, que você faz o que quiser com ele! É bom acordar a hora que você quiser e dormir a hora que te der na telha. É delicioso escolher quanto tempo você vai ficar em cada lugar.

Mas desde que me conheço sempre fui insatisfeita. Mesmo feliz, eu sempre pensei que podia estar vivendo algo diferente, sempre sonhando acordada. Sempre em busca de um objetivo maior.

As vezes isso é bom e as vezes não…

E eu sempre me senti meio estranha por isso. Estranha por querer mudar sempre, por procurar algo diferente a cada período. Por nunca querer a mesma coisa por muito tempo. Sempre fui inconstante de uma certa maneira. Não significa que eu não goste da rotina. A rotina é boa até que ela cansa! Aí eu quero viver outra rotina por mais um tempo. E é assim que eu funciono. Isso me faz criar os sonhos mais doidos na minha cabeça! Mas também provoca grandes frustrações…

É estranho porque quando iniciei essa viagem, eu achava que esse sentimento iria me deixar por algum tempo. O fato de fazer exatamente o que eu queria todos os dias me fez pensar que eu iria sossegar. Afinal de contas eu estava realizando um sonho tão incrível e tão grande! Não tinha como querer algo mais ou algo diferente disso. Seria uma loucura na minha cabeça ingênua.

Mas o meu cérebro me reservou grandes surpresas e eu continuei sentindo as mesmas coisas. Sempre idealizo maneiras diferentes de viajar, projetos diferentes, roteiros diferentes. Quero todos os dias fazer algo além daquilo que estou fazendo. Eu mesma não consigo entender muito bem tudo isso! E as vezes me frustro.

O fato de agora eu ter mais tempo para refletir sobre esses assuntos me fez  avaliar questões em relação a mim mesma:

Eu estou me conhecendo mais do que imaginava e estou aprendendo a gerenciar meus sentimentos

Eu estou aprendendo a lidar com frustrações numa realidade aonde isso não deveria estar acontecendo.

Eu percebi que preciso usar minhas mudanças constantes a meu favor

Eu sei que não há mal nenhum em sonhar todo dia um sonho diferente ou desejar viver algo além daquilo que vivemos no momento presente. Mas cada projeto precisa ser vivenciado na sua intensidade porque o momento é único. E quando passa nos arrependemos de não ter vivido aquilo de forma plena.

Estou utilizando essa viagem, esse projeto, esse sonho para tentar aplicar esse pensamento. Sonhei tanto com os momentos que estou vivendo e preciso procurar viver cada um de forma completa, sem pensar que poderia ser melhor.

Para mim é um aprendizado diário, mas aos pouquinhos estou deixando os acontecimentos presentes me levarem. Quero cada vez mais viver os momentos, exatamente do jeito que eles se apresentarem, sem idealizar nada diferente, porque acredito que é assim que a vida deve ser.

Nunca pensei em manifestar esses meus sentimentos de forma tão aberta porque sempre achei que as pessoas não entenderiam. Mas meus momentos de reflexão estão me ensinando que é importante se expressar e colocar para fora aquilo que nos incomoda. Hoje estou aqui escrevendo e me sentindo mais leve por conseguir transmitir em palavras algumas sensações que sempre me acompanharam.

A vida é simples demais para a gente complicar tanto!! E esse é um exercício diário para todos nós!

Gostou? Então compartilhe com os amigos!

Quem escreve

Gabriela Muniz

Facebook Twitter Google+

Engenheira de Alimentos, Pós Graduada em Gestão de Negócios, Empreendedora e Blogueira. Amante da natureza, de viagens, de conhecimento! A Expedição HANDS on DREAM não é só a realização de um sonho, mas também um Projeto de Vida.

Últimos posts

Converse com a gente!

Comentários

Comments 1

  1. Marcio

    Oi Gabi! Sabe que isso acontece comigo tambem? E deve acontecer com a maioria dos que conheco ( se nao com todos). Eu tbm fico imaginando que se meu filho quisesse brincar de determinada brincadeira, que nao aquela que ele esta querendo, naquele exato momento, aquele exato momento poderia ser mais legal.. ou que se a minha casa tivesse um comodo no fundo, igual ao que o meu vizinho tem, seria mais legal… e de fato acabo me frustrando tbm, a brincadeira com meu filho nao fica tao legal e minha casa deixa de ser “A casa”, e vejo depois que era tudo mentira, que a brincadeira era legal, pq era com meu filho, e a casa eh boa, pq eh minha.. e aquelas besteiras na minha cabeca soh serviram pra insatisfazer mesmo. Um exercicio diario.. apreciar e saborear o que Deus (a vida) separou pra nos, me parece dificil as vezes.. mas realmente um exercicio diario. Obrigado por me lembrar! bj.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *