HoD_BoasDaVida-7326

As pequenas coisas simples e boas da vida.

Gabriela Muniz Devaneios Leave a Comment

No início de jornada Hands on Dream, eu falei um pouco de desapego e de como estávamos nos preparando para nos desapegar de tantos costumes vividos ao longo dos anos, para viver de forma mais simples. Costumes aprendidos com base na sociedade tão consumista e acomodada em que vivemos.

Nós somos condicionados a enxergar mais o ostensivo do que o simples. A gente se engana ao classificar as coisas passageiras como indispensáveis para a nossa felicidade e desprezamos os pequenos e eternos prazeres da vida. Caímos na armadilha de correr atrás de uma felicidade de posses, onde quanto mais nós temos mais infeliz somos. Conquistamos um objetivo material mas não nos satisfazemos pois já estamos em busca de outro.

Agora depois de um ano, sinto necessidade de fazer uma reflexão e de constatar algumas coisas que a simplicidade nos ensinou.

Na primeira etapa foram 9 meses carregando pertences suficientes para caber em duas mochilas. E foi incrível perceber que não sentimos falta de quase nada. As roupas foram mais do que suficientes e só compramos algumas mudas quando alguma coisa estragava e quando o frio nos pegou de surpresa na América do Sul.

Na verdade percebemos que tínhamos mais do que era preciso e estávamos carregando peso extra e desnecessário. Como fizemos uma pausa no Brasil, nossa bagagem rumo aos novos destinos está ainda menor.

Atualmente estamos em Portugal e aprendendo a conhecer uma nova forma de viajar. Vamos dividir cada descoberta sobre como morar e viajar em uma casa sobre rodas ao longo da caminhada.

O mais interessante de tudo isso é que não sentimos vontade de comprar nada.  Compramos apenas o necessário para sobreviver. Parece que quanto menos você gasta com bens materiais, menos desejo você tem de adquirir outras coisas.

O contato maior com a natureza, com a vida rural, com os indígenas nos abriu os olhos para uma vida ainda mais simples, que pretendemos levar quando fixarmos residência em algum lugar. A proximidade com os rios, com o mar, com a terra, com animais nos trouxe muito mais felicidade e satisfação do que quando adquiríamos alguma coisa.

Hábitos de sair para comer fora em lugares caros, dar presentes caríssimos, usar roupas de marca, deixaram de fazer parte da nossa realidade por conta da necessidade e também por uma escolha nossa. Aos poucos estamos nos transformando e essas atitudes refletirão no nosso estilo de vida futuro.

Aprendemos a cozinhar com recursos limitados e com os ingredientes mais baratos dos mercados e descobrimos que não faz tanta diferença no dia-a-dia se você compra o mais caro ou o mais barato. Sabendo usar o que você tem o sabor fica delicioso.

Não é só porque estamos viajando que deixamos de fazer alguns mimos um ao outro. O fato de ter menos dinheiro, nos fez perceber como um presente simples causa a mesma alegria que um bem mais caro. O importante está na atitude de presentear e tornar o momento especial, e não necessariamente no produto.



Sem um transporte particular passamos a caminhar mais e conhecer mais a fundo as ruas por onde passamos, os bairros, as lojinhas, os mercados, as padarias, os costumes de cada lugar. Simplificamos a vida e isso nos fez ver os lugares de uma maneira diferente do que víamos nossa própria cidade. O carro nos permitia ir para qualquer lugar mas não nos permitia vivenciar o trajeto totalmente.

Esses são apenas alguns exemplos para descrever um sentimento interno que está nos transformando por uma escolha de viver uma vida diferente. Hoje eu tenho uma certeza: a simplicidade sem dúvida traz momentos de felicidade intensa. Sem muito dinheiro, vivemos momentos tão felizes, que ficarão guardados para sempre.

Estou disposta a viver uma vida mais simples, mesmo que isso signifique ganhar menos futuramente. Porque simplificar significa experimentar mais momentos de alegria com quem se ama, menos stress por conta de rotinas desumanas de trabalho, qualidade no tempo com a família e a possibilidade de desfrutar com mais frequência os pequenos prazeres da vida.

A complexidade que vivemos a vida nos faz questionar sobre a nossa felicidade diariamente. Lemos listas sobre o que fazer para ser mais feliz, assistimos a vídeos inspiradores, compramos livros de auto ajuda. Entretanto, enquanto não começarmos a simplificar, continuaremos uma busca sem fim.

Comece dando mais valor aos pequenos prazeres. Procure balancear sua vida pessoal e profissional. Em vez de fazer compras no shopping no final de semana, passe o dia numa parque, cuide das plantas, ande de bicicleta, faça um piquenique com os amigos. São simples atitudes que podem te ajudar a promover uma grande mudança!

Nós recomendamos! Por experiência própria!

Gostou? Então compartilhe com os amigos!

Quem escreve

Gabriela Muniz

Facebook Twitter Google+

Engenheira de Alimentos, Pós Graduada em Gestão de Negócios, Empreendedora e Blogueira. Amante da natureza, de viagens, de conhecimento! A Expedição HANDS on DREAM não é só a realização de um sonho, mas também um Projeto de Vida.

Últimos posts

Converse com a gente!

Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *